Um dos temas mais recorrentes na sociedade moderna é a violência, nas suas diferentes e incontáveis formas.

É um assunto muito conectado ao medo social, bastante presente nas cidades, que infelizmente veem seus índices crescerem a cada período. Independente da necessidade de intervenção estatal, que é indiscutivelmente obrigatória nesse aspecto, o despertar para a erradicação da violência passa por questões mais sutis e, paradoxalmente, profundas. Por isso, pinçamos de dentro desse grande guarda-chuva da violência as questões relativas aos conflitos com origem no gênero. É sobre elas este despertar.

Chamamos especial atenção para as questões de gênero dentro do contexto da violência como um todo porque, para nós, apesar dessas questões poderem ser consideradas micro, as intervenções que objetivem a equanimidade no seio delas, com certeza, impactam no macro.

Em suma, acreditamos que, se bem trabalhadas as questões que despertem o cuidado e a conscientização entre os gêneros, é possível transformar socialmente um universo maior de pessoas.

Esse despertar não exclui, ao contrário, está muito bem alinhado às políticas públicas e também ao que a ciência, na sua diversidade de áreas, vem estudando e aplicando na sociedade.

Nesse contexto, as propostas englobam:

  • Programas de acolhimento e terapêutica a:

    • Crianças, adolescentes e mulheres vítimas de qualquer violência;
    • Dependentes (filhos e cônjuges) de detentos;

  • Programas para o fortalecimento das mulheres e demais gêneros que se identificam como feminino em diversos âmbitos, como o educacional, o cultural, o social, o autoconhecimento e autodesenvolvimento, em prol da conscientização para o movimento do chamado empoderamento feminino.
  • Programas para o fortalecimento das mulheres e demais gêneros que se identificam como feminino em diversos âmbitos, como o educacional, o cultural, o social, o autoconhecimento e autodesenvolvimento, em prol da conscientização para o movimento do chamado empoderamento feminino.

Os Nove Despertares

É preciso deixar claro que os nove despertares não são pontos isolados em si mesmos. Todos eles possuem conexões e inter-relações de modo que, por exemplo, quando atuamos no despertar de uma nova educação e cultura da paz, estaremos também promovendo uma nova consciência. E assim acontece com cada um e com todas as nossas nove áreas de atuação.