O empreendedorismo social chama a atenção cada vez mais em nosso país.

Não é para menos, pois além da função do empreender, que por si só é desafiadora e aprovisionadora, ele carrega em si o lado social, ou seja, o objetivo do bem-estar comum, comunicando e integrando tanto os aspectos de lucratividade quanto a visão de melhoria da sociedade como um todo.

Nesse sentido, trabalhamos com as seguintes ações:

  • Promoção do voluntariado.
  • Criação de estágios, colocação de pessoas treinadas e capacitação de mão de obra para o mercado de trabalho e o empreendedorismo social para:

    • Desde jovens aprendizes a idosos;
    • População de baixa renda e escolaridade;
    • Pessoas em situação carcerária, egressos do sistema carcerário e seus dependentes;
    • Portadores de necessidades especiais;
    • Adictos;
    • Jovens e mulheres vítimas de violência, atendidos pela área de atuação do raio 8.

  • Projetos e ações destinadas diretamente a criança, adolescentes e idosos em situação de vulnerabilidade, adictos e seus familiares, população carcerária e egressos do sistema carcerário, população em situação de rua.
  • Projetos que promovam o estímulo à participação da população de média e alta renda na “adoção” de grupos de pessoas em situação de vulnerabilidade e de famílias como seus apoiadores diretos.
  • Promoção de desenvolvimento tecnológico, econômico, social e sustentável.
  • Criação de núcleos de experimentação de novos modelos sócio produtivos e sistemas alternativos e sustentáveis de produção.
  • Projetos voltados à liderança integral, em observação, inclusive, às soft skills mais adequadas a cada segmento.
  • Projetos de serviços voltados à alimentação saudável, à moda sustentável, tricô, Crochê, artesanatos, velas aromáticas, cosméticos, aromaterapias, etc.
  • Diálogos virtuais com empreendedores sociais que têm se destacado nas favelas das grandes metrópoles brasileiras, a fim de articular intercâmbios e trocas de experiências, pois se há a transformação das favelas, com certeza é possível transmutar outros espaços urbanos.

Os Nove Despertares

É preciso deixar claro que os nove despertares não são pontos isolados em si mesmos. Todos eles possuem conexões e inter-relações de modo que, por exemplo, quando atuamos no despertar de uma nova educação e cultura da paz, estaremos também promovendo uma nova consciência. E assim acontece com cada um e com todas as nossas nove áreas de atuação.